Dicas

Conselhos para os participantes:

1 – Calçado: durante o Down River vais andar quase sempre com os pés na água e nas margens inclinadas de xistos, algo cortantes. Sugerirmos-te que, para além do calçado normal, leves uns sapatos de água ou sandálias confortáveis. Evita os chinelos de dedo, não são seguros e podem perder-se.

2 – Mãos: para os mais sensíveis aconselha-se que, enquanto remam, não molhem as mãos para que a pele não fique mole e rebente mais cedo do que desejariam. Usar luvas (de pele, de preferência) ou envolver o remo com tecido, são truques para evitar as bolhas mas é necessário que não os molhem, caso contrário o efeito perverso é o mesmo.

3 – Remos: cada tripulação é soberana na construção da sua embarcação mas, diz a experiência, que os remos fixos são mais eficazes e confortáveis. Há quem os amarre com tiras de borracha, corda ou através de um eixo de madeira. O ideal é levarem mais um ou dois remos para substituir os que se estragam e um saco de tiras de borrachas extras.

4 – Dormidas: como temos de ser poupados no material que transportamos, porque vai TODO NAS JANGADAS, evitamos levar tendas. Estas são substituídas por toldos e por panos de chão. Tem sido habitual não existir hora de silêncio e, apesar dos apelos ao respeito pelo descanso dos outros, há sempre alguém que se excede em ruídos. Apela-se a todos que respeitem o descanso nocturno. E já agora: não esqueças que “a hora de levantar não tem nada a ver com a hora de deitar, possam embora coincidir”.

5 – Farmácia: apesar de termos uma disponível, é imperativo ter uma em cada jangada. Providenciem um pequeno kit de 1ºs socorros.

6 – Fotos: levem máquinas fotográficas e obtenham boas fotografias. Para mais tarde recordar…

7 – Segurança: há que ser rigoroso nesta matéria para evitar acidentes e incidentes. É desejo da organização que todos os participantes usem e abusem do colete de salvação individual, do vestuário, chapéu, sapatos de água e protector solar. Pedimos a colaboração de todos os Raftmasters e Skippers das jangadas para que façam um controlo apertado destas matérias. Outro aspecto sensível são os banhos após as refeições (digestões) e os mergulhos em zonas baixas. Alertamos para a necessidade de tomar precauções. Nas margens não existem “bichos mortais”. Há lacraus mas é preciso procurar muito, as cobras de água não mordem, os achigãs e as percas são peixes carnívoros mas são esquisitos e escuteiros não são parte da sua ementa… o nosso maior perigo somos nós!!

8 – Material: sejam poupados e levem apenas o essencial. Roupa velha, toalha e agasalho para a noite, chapéu e protector solar são necessários. Aconselha-se que cada tripulação leve um contentor à prova de água para colocar os objectos de valor durante a navegação.

9 – Objectos de valor: A albufeira é implacável em reter artigos de valor que caiem na água. Dizem que há por lá muitos achigãs que usam óculos graduados e de sol, fios de ouro, anéis, canivetes, telemóveis, chaves de carros, placas dentárias, carteiras, enfim, uma série de artigos que são absolutamente desnecessários para se passar uns dias descontraídos e sem stress. O ideal é arranjar um pequeno saco ou bidão estanque para guardar todos estes valores.

10 – Uniformes: A utilização do uniforme nas actividades escutistas faz sentido, é normal e lógica. No entanto, nesta actividade e pelas suas características, é normal o uso apenas de T-shirt escutista, lenço e calções de banho. O uniforme fica reservado apenas para a deslocação para o Down River e no regresso (caso os dirigentes dos vossos agrupamentos assim o exijam). Para os momentos solenes (Missa e encerramento), pede-se que estejam com a T-shirt fornecida pela Organização e com o lenço escutista.

11 – Pirogravura no cinto: em anos especiais poderemos ter à disposição dos participantes um carimbo quente alusivo ao Down River. Neste sentido e para quem desejar, é importante que levem o cinto do uniforme (a confirmar!)

12 – Pão: Apesar da alimentação ser fornecida pela organização a partir da sexta-feira à noite, é provável que desejem adquirir pão fresco. À semelhança de anos anteriores vamos poder adquirir pão em campo na sexta-feira e no sábado de manhã. Para tal, deverão solicitar a quantidade de pão desejado, através de SMS para o telefone a indicar aos participantes, indicando o agrupamento, quantidade e para que dia desejam o pão.

13 – Água: O abastecimento de água potável é possível no Estaleiro e nos locais das refeições. Durante a navegação é necessário que se façam acompanhar de água potável devidamente acondicionada. É fortemente desencorajado o consumo directo de água do rio.

14 – Visitas: Aos forasteiros que desejarem visitar a actividade, aconselha-se que o façam durante o período de construção das jangadas (quinta e sexta-feira), na zona onde for definido o Estaleiro.

15 – Sinalização das jangadas: Todas as tripulações devem identificar as suas jangadas da melhor forma. O ideal será uma bandeira, flâmula ou placa com o nome da tripulação/jangada. Para a navegação nocturna é obrigatório a utilização de lanternas e/ou luz química para assinalar a possição das jangadas.

Bons ventos vos acolham!

Anúncios



%d bloggers like this: